Jéssica Azevedo

Dizem que o tempo cura tudo, cicatriza, sara, faz esquecer desamores, desilusões ou ilusões mesmo, aquelas criadas acerca de algo ou alguém, mas confesso que pra mim esse “tempo” tem passado tão lentamente, ou seria apenas a vontade de não querer te esquecer? De viver os planos, sonhos, sentimentos que outrora compartilhamos? De viver tudo aquilo que foi pensado, que foi dito? Não sei se sou tão forte como tenho demonstrado ser ou se é apenas uma representação na busca incessante de esconder minha fraqueza. No momento só consigo pensar em ficar de pé, de seguir adiante, de avançar, de ter fé, de acreditar que algo vai surgir a qualquer momento... Decidi, arrumei as malas, parti, coloquei os sentimentos amarrotados amontoados junto com os sonhos ainda não realizados dentro de um compartimento cúbico de viagem. Mas o que fazer com as decepções?É só me resta esperar para que aquele velho “tempo” chegue logo e cure tudo...                                                                                                          

                                                                                                                       (Má Morais)
1 comentários | | edit post
Reações: 
Jéssica Azevedo

‎"Supere isso e, se não puder superar, supere o vício de falar a respeito"
                                                                                (Caio Fernando Abreu)




Me martirizo de arrependimentos. Mas para que perder esse tempo tão precioso questionando os erros, sendo que a vida não é feita apenas de acertos?!
Apenas viva, sem medo de errar, pois são dos arrependimentos que progredimos nosso saber do que é certo e errado. :D
Marcadores: 0 comentários | | edit post
Reações: 
Jéssica Azevedo
De amor e ódio
Felicidade e tristeza
Sorrisos e lágrimas
De verdades e mentiras
Malicias e inocências
Amizades e paixões
Assim faço minha bibiografia
De pequenos atos
Momentos e sentimentos
Com toda a inteireza do meu ‘EU’
E vivendo no pequeno grande mundo Meu.
0 comentários | | edit post
Reações: 
Jéssica Azevedo

Em frente ao espelho, ventilador ligado, os cabelos esvoaçantes, me olho e me afogo em pensamentos como se a imagem refletida defronte a mim fosse de dentro do meu coração e outrora de minha memória. São sonhos, mas também realidade, é presente e pretérito, é hoje e amanhã. Tudo isso movido pelo sopro do vento e iluminado pelo colorido do arco Iris. È um turbilhão de pequenices que faz dos simples e reduzidos momentos as melhores lembranças. E para quem acha que isso é viver de passado, eu digo: Não vivo de pretérito algum, eu vivo do que me faz bem e que estampa em meu rosto aquele sorriso mais puro, o olhar mais inocente e a saudade mais prazerosa.

Marcadores: 2 comentários | | edit post
Reações: 
Jéssica Azevedo
As vezes nosso maior medo é aquele momentâneo de que alguma pessoa importante te decepcione.
Medo de quem menos se espera, melhor dizendo de quem menos deveríamos esperar algum tipo de decepção mas na verdade é essa pessoa que você morre com receio dela te magoar, visto que é alguém que você gosta muito e que quer gostar sempre achando que é alguém de raros defeitos.
Mas como você esperava tanto, a decepção acontece, não da forma que você imaginou, talvez pior, ou não.. Mas a decepção de uma das pessoas mais importantes no momento chegou, e ai, o que fazer diante de tal constrangimento?
Você já esperava, então deveria estar preparada. Mas é a pessoa que mesmo você achando que fosse te decepcionar você ainda que pensasse nisso preferia acreditar que nada aconteceria.. mas aconteceu.
O que fazer? (...) Fingir que está tudo bem e que nada ocorreu!
Mas a mágoa continua aqui, talvez esperando pegar o embalo e ir embora com a correnteza de lagrimas que nasce no coração, passa pelos olhos e seca-se no caminho.
0 comentários | | edit post
Reações: 
Jéssica Azevedo

Hoje me encontro em meio a um turbilhão de inspirações.
É como se por um momento as palavras tomassem conta de minha cabeça procurando serem entrelaçadas em versos, rimas ou qualquer que seja a demonstração.
Elas são como os bebês puxando a roupa da mãe pedindo alimento.
Me encontro cercada pelo dom da escrita.
Desejo quebrar regras e avançar fronteiras.
Seria isso sintomas de [des]amor?
Das duas uma...
Sei apenas que quero colocar para fora tudo aquilo que me deixa feliz,
mas também, tudo aquilo que se encontra engasgado em minha garganta e
naufragado em meus pensamentos indignando e entristecendo-me.
Hoje é o dia,
Aquele em que podemos ser felizes.
Que podemos desabafar.
E acima de tudo nos resumir em códigos
Nos decifrar em incógnitas
(...)
Se isso for possível em tão pouca fração de tempo!
0 comentários | | edit post
Reações: 
Jéssica Azevedo

É inadmissível ver seres que colocamos no poder para nos representar, afundar o que é nosso e enquanto morremos afogados, sufocados, ele se salvam em navios luxuosos a nosso custo.
É inaceitável ver que pessoas  hipócritas ganham mais que professores que educam.
E que enquanto eles “trabalham” em salas “ar-condicionadas” crianças e jovens são obrigados a estudar em salas de aulas com situações precárias.
Triste ver que a imagem de “pais do futebol” é mais importante do que a imagem de “pais educado e inteligente”
Ver que o capitalismo e o status de um país lideram a cabeça das pessoas no poder, visto que valores mais importantes deveriam estar em primeiro lugar.
Eles preferem quantidade à qualidade.
Será esse o caminho meu Brasil?
Do que adianta uma “capa” perfeita, enquanto dentro encontram-se tudo podre?
Do que adianta comprar mais de 200 maçãs sendo que elas não poderão ser degustadas?
Para que criar se não terá o quê quem manter?
Ah minhas amigas, a coisa está saindo do controle, vocês que dão tanta ênfase à educação, onde estão agora enquanto milhões de jovens brigam nas ruas querendo estudar e professores querendo ensinar?
O fato é simplório: eu quero estudar, e sair do meu instituto uma boa profissional, e meus professores querem apenas uma melhor condição para educar e criar seus filhos sem precisar se matar triplicando cargas horárias.
Daí surge uma pergunta: MEU INSTITUTO? Sim, meu instituto, seu, nosso.  Somos nós que mantemos, somos nós que pagamos nada mais justo que cobrarmos e correr atrás do que deveria por obrigação estar lá sem nenhum manifesto.
É isso que devemos fazer meu país, cobrar o que é nosso de direito, mesmo quando eles tampam os ouvidos e fecham os olhos diante tal situação decadente.
                                   


                      Pula, sai do chão quem defende a EDUCAÇÃO !
0 comentários | | edit post
Reações: 
Jéssica Azevedo




Paro-me a tua companhia e consigo pensar em nada [tudo], sei La
Penso em nada e tudo ao mesmo tempo, e você pergunta: “No que pensas meu bem?”
O que responder? Visto que, nem eu mesma sei o que me faz ficar em devaneios por segundos, minutos ou horas
Seria meu silêncio a única forma que encontro de manifestar tudo que você me faz sentir?!
E surge “o porquê” de tantas dúvidas e perguntas.
Sinto muito, mas meu ‘eu’ só autoriza dizer que independente de qualquer duvida ou questionamento tudo é uma certeza no fundo de onde não enxergamos, mas sentimos.
É nesse órgão torácico que pulsações diversas acontecem, boas, ruins, felizes e tristes
E nesse compartimento quero que resida por muito tempo, não digo ‘para sempre’ porque como diz a música ‘por enquanto de Legião’ “o para sempre, sempre acaba”.
Mas posso dizer e desejar que seja eterno, mesmo que apenas por um piscar de olhos ou um suspiro, tudo vale perto de você!
Não quero jamais me lembrar de não esquecer nossos momentos, mesmo que sejam aqueles que se resumem a um breve abraço de um pequeno instante
Desejo que nossos pretéritos sejam lembranças constantes, jamais fugazes.
Você acaricia lembranças do momento agora
Você faz cócegas em meu coração e ele começa a pulsar como se quisesse sair de dentro de mim e juntar ao teu em um só lugar
Porventura quisera meu coração ficar ao lado do teu por uma simples e avassaladora paixão?!
Como isso acontece? Não sei, sinceramente não sei responder.
Você proporciona-me a plenitude de estar bem.
E se me perguntasse com o que eu te compararia diria que com um jardim, cheio de flores desabrochadas e com muitas ainda por desabrochar
E surge mais uma pergunta em sua cabeça, ‘o porque de um jardim?’
Eu digo: porque nos jardins as flores funcionam como os sentimentos, alguns eclodidos outros ainda não, mas é tudo uma questão de tempo...
A espera da primavera talvez?! 
Existe uma autonomia nas flores:elas sustentam a beleza e o fascínio de uma pessoa para aquela paisagem.
Elas permanecem em silêncio o ano todo esperando o colorido das borboletas e os [en]cantos dos pássaros.
Compararia-te na verdade com tanta coisa, aspectos incomensuráveis.
Seria essa a única forma que encontro de petrificar nossos momentos: o silêncio?!
Ahh! São tantos os mistérios que rondam os meus pensamentos no exato momento
Eu que a pouco tempo me encontrava apática com medo de tudo e todos e de qualquer tipo de conexão sentimental
Mas ai apareceu você (‘do nada?’) sim, literalmente do nada, e pior ainda de maneira mais que singular
E o que mencionar além de toda a minha satisfação de estar com você
Quando estou ao teu lado recebendo seus carinhos e ganhando seus beijos me sinto incólume
Em seus braços presa pelos seus abraços me sinto mais que ilesa
Porém, ao mesmo tempo em que me encontro sã e salva sou sua refém, pois você prende-me por meio de algo que não pode se explicar, apenas sentir.
E é dessa forma que com toda a asseveração eu digo:
                                                                
                                                     Tu és o que me aliena,

                                    que me deixa fora de mim,

                             mas também o que me faz ter os pés no chão,

                                                 Tu és o que eu sinto...

                                   É os meus sonhos e também minha realidade

                                                        O alguém que me mantém                            
                              
                                            É o que vejo, e acima de tudo...

                                                      És o quê e quem eu quero!


Jéssica Azevedo

Marcadores: 0 comentários | | edit post
Reações: 
Jéssica Azevedo

Essa pergunta voltou a me perturbar nessa madrugada exatamente as 2:05 da manhã, durante uma conversa no MSN, acredito que vocês também (ou não) já devem ter se perguntado isso, muitos podem ter uma opinião formada e achar que é bom e outros acharem que é a pior coisa do mundo. Mas estou aqui me perguntando isso (pela milionésima vez) se realmente é bom você gostar de uma pessoa com pouco tempo de amizade ou qualquer outro tipo de relacionamento, será que nos fará bem deixar uma pessoa se tornar essencial para nossas vidas em poucas semanas ou poucos meses?.
Éh, não parece ser tão bom assim, corremos muitos riscos ao deixarmos isso acontecer, riscos de magoar e ser magoado principalmente, ilusões, expectativas, sonhos que podem vir ou não a dar certo, mas que na maioria das vezes sonhamos sozinhos, entre muitas outras conseqüências ruins. Estou pensando e não consigo encontrar algo bom para isso. Você ai que esta lendo esse post agora, me dê um ponto positivo para isso, porque se tivesse ao menos uma coisinha boa em se apegar fácil eu ficaria mais tranquila.
Também não quero dizer que isso é a pior coisa do mundo, porque pelo menos no momento, você estará se satisfazendo, satisfazendo seus sentimentos e não perceberá os riscos que correm. As conseqüências so chegam depois de algum tempo. Depois de tudo se tornar verdadeiro.
Mas como assim  “depois de tudo se tornar verdadeiro”, será mesmo que em TODOS os casos  você estará gostando de VERDADE de uma pessoa em tão pouco tempo??. Será que nos dias de hoje é mesmo possível uma pessoa se tornar essencial em poucos dias ou semana?.  Acredita que alguém possa dizer “TE AMO” com plena convicção a uma pessoa no momento que se encontra “iludida”, “cega” e enxergando apenas as coisinhas boas que querem enxergar?.. Pois é, o mundo não é esse mar de rosas as mil maravilhas.
A convicção do sentimento vem junto com o sofrimento. Lógico, que não é em todos os casos, mas para uma pessoa que se encontra presa em um sentimento ao qual ela perdeu o controle, a convicção de que ela gosta ou não, ama ou não, vai vim acompanhado de alguma coisa, mas na maioria das vezes um sofrimento de leve. Afinal, não existe amor ou amizade sem mágoas, já que elas se fortalecem com isso.
Não quero que pensem que sou pessimista, ou mal amada, isso jamais. Só quero ser realista, talvez vocês veem isso e preferem achar que não é nada demais e que é tudo normalzinho, que vocês gostam e pronto, pare e pense please, será que teve tempo suficiente para se tornar verdadeiro, sincero¿ Ou você esta querendo ocupar algum lugar vazio ai em eu coração com ai a primeira pessoa que aparece, lugar este que a muito tempo se encontra vazio?.
 E uma coisa digo a vocês, uma grande virtude é você saber controlar seus sentimentos, seus instintos emocionais, e ter certeza deles. Sentimentos só valem quando eles forem sinceros, e não quando eles ocupam por um momento um lugarzinho no seu coração. CUIDADO, pois você poderá esta colocando a peça errada, dentro do que te mantém vivo.


0 comentários | | edit post
Reações: